segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Com esta Economia não há Estado Social que aguente.


Medina Carreira há 20 anos que vem alertando para o facto de que nos estamos a dirigir para o colapso. Lá diz o ditado que não se é profeta na própria terra, e MC tem sido criticado por tudo, desde o estilo, os gráficos, a aparente arrogância e irascibilidade. Nunca ninguém consegue é apresentar factos que o desmintam e os tempos que vivemos são o melhor exemplo da razão que Medina Carreira sempre teve, além disso deve ser difícil manter a compostura quando se vê que nos vamos despenhar, ninguém nos liga puto e ainda gozam connosco.
Logo aos 1min. de vídeo temos a frase que melhor reflete a razão para este estado de coisas:
Sem Economia não há Estado Social que aguente. Ponto. As despesas com o Estado Social aumentam exponencialmente ao mesmo ritmo que as Economias decrescem de vigor. Não há dinheiro para continuar este estado de coisas. 88% dos impostos recebidos são para pagar o Estado Social.

Não há gorduras que consertem este problema. Temos duas hipóteses, ou pomos a Economia a crescer ou temos de cortar nas despesas. Ora se não dependemos só de nós para colocar a Economia a crescer o caminho só pode ser cortar onde se gasta. Estado Social.
Temos pena mas não há alternativa.

A Europa esta desindustrializar-se. Não irá começar a produzir desmesuradamente e a crescer como já cresceu. Sendo o Estado Social um produto da Revolução Industrial e da geração de riqueza, parece mais ou menos óbvio que se não se gerar riqueza, não se pode manter um Estado que tudo pague.
Os portugueses sentem-se enganados, e com razão.
Durante uma crise não seria a melhor altura para cortar no Estado ma sem cortar na Despesa Pública não sobreviveremos.

Desde 2000 que este destino era perfeitamente identificável. Ninguém fez a ponta de um corno. Todos foram uma cambada de românticos que não quiseram enfrentar a realidade. O resultado está à vista.
Vão-nos tirar ao prato na altura em que menos temos para comer, mas a culpa não é da mão que nos tira. É daqueles que, quando podiam e deveriam, nada fizeram. Perdemos 10 anos e agora atravessaremos o deserto, queiramos ou não, custe-nos ou não, não há mais nenhum caminho, podem vir comunistas, bloquistas, marxistas, trotskistas, maoistas, pode vir o Papa que a verdade não muda.
É injusto? Sim.
Há alternativa? Lamento, mas não.
Vai doer? Oh se vai!
E resolverá o problema? Não se sabe.
Há que falar verdade aos Portugueses.

Enquanto foi tempo não se fizeram manifestações e indignações. Andámos todos mansos? Agora é tempo de comer o feno porque não há dinheiro para ração.

Medina Carreira anda há 20 anos a apanhar pancada por dizer ao país que chegaríamos aqui.
Chegámos. Aguentêmo-nos à bronca.

3 comentários:

André Miguel disse...

"não há mais nenhum caminho, podem vir comunistas, bloquistas, marxistas, trotskistas, maoistas, pode vir o Papa que a verdade não muda."

E liberais, podem vir? Talvez já merecessem uma oportunidade, não?

André Couto disse...

Caro André,
não tenho preconceitos de nenhuma ordem. Desde que cheguemos a bom porto...
Abraço.

Maria Luísa disse...

M.C. tinha razão, mas nem uma só vez lhe deram ouvidos . Foi pena. Gosto de o ouvir porque fundamenta o que afirma e fá-lo sem atavios.