sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Um abraço na Web


O titular do blog Sair das Palavras... deu-me um terno e edificante abraço que exibirei com reconhecimento ali ao lado.
"E o significado dado pelo próprio é: "A imagem lá em cima é um gatafunho meu. Um auto-retrato figurado de como o Gato abraça.
Com dois braços tão grandes tão mas tão grandes, capazes de engolfar o mundo, e um coração que não cabe lá dentro".
O desafio consiste em responder a estas perguntas:

1 - Quem mais gostas de abraçar no presente?
2 - Quem nunca abraçarias?
3 - Quem davas tudo para poder abraçar?"


O Daniel é alguém que vai enchendo a blogoesfera de carinho e amizade. Sentimentos verdadeiros de alguém genuíno nesta realidade paralela a que chamam virtual.

O reconhecimento que desejo que sinta nada tem de virtual.

Como já, no teu blogue, tive a oportunidade de fazer, pretendo também aqui agradecer-te. Não o abraço da figura, mas a presença, estímulo, carinho e amizade que sempre estás pronto a dar e nem todos prontos a receber.

Obrigado, Daniel.


Tentarei dar, então, resposta ao desafio lançado:

1 - A pessoa que mais gosto de abraçar no presente é o meu pai. É um grande Homem. Amo-o imenso e quanto mais cresço enquanto pessoa mais parecido fico com ele, o que me deixa incomensuravelmente satisfeito. Todos temos defeitos e o meu pai não é excepção, mas ainda bem que assim é. Seria deprimente ter alguém perfeito como exemplo e saber que nunca conseguiria igualar. Além disso a ideia de que se, no evoluir da vida, os seus defeitos passarem a ser os meus não me assusta minimamente. Pelo contrário. Ficaria muito grato por tamanha benesse.


2- Dizer qual a pessoa que nunca abraçaria é um desafio complicado. Bastante mais do que o que parece...
Talvez tivesse muita dificuldade em abraçar quem consciente e propositadamente me tenha causado dor. Não sou rancoroso, notem. No entanto, embora esqueça muitas coisas más, tenho dificuldade em verdadeiramente perdoar algumas delas.


3- Dar tudo para poder abraçar entendo como força de expressão, pelo menos no meu caso.
Quem eu adoraria abraçar e não posso teria de ser, inevitavelmente, Fernando Pessoa.
Seria, para mim, absolutamente delicioso poder com ele trocar ideias e argumentos. Ter o privilégio de trocar correspondência (daquela que já não se usa muito, em papel...) com alguém cujas ideias partilho e sinto tanto seria algo de inanarravelmente impagável.


Penso que cumpri, minimamente, o âmbito do objectivo que me foi proposto, o que, nestes casos, nem sempre faço.


O abraço do Daniel gostaria de o estender apenas, uma vez que primeira e sentidamente já lho retribuí, ao "Sócrates da Silva" do Castelo d'Areia:

Caríssimo amigo, como em privado já tive a oportunidade de to comunicar, tenho por ti imensa estima e não posso deixar passar a oportunidade de te enviar um muito grande, verdadeiramente fraterno e mais que merecido, abraço.


Bem hajam.

2 comentários:

magna disse...

olá andré qua abraço legal,é tão dificil escolher alguem que nunca abraçariamos neh?então por isso te dou um abraço na alma!!!bjusss e fica com Deus!!!

Socrates daSilva disse...

Deixas-me sem saber o que dizer…
(Ironicamente, são nestas ocasiões que começo a escrever e nunca mais acabo!)

Primeiro, o prémio atribuído a ti, André, devido ao que escreves no teu blogue é mais que merecido.

Muitas razões existem para se ter e manter um blogue e todas elas são genuínas, pois são o que apetece a alguém escrever. Mas o teu “cantinho”, entre muitas coisas que aprecio, merece realmente um grande abraço.

Pelos sentimentos assumidos; não existe aqui uma imagem retocada, aqui deixas realidades. Realidades de uma vida que, como a de muita boa gente, assume por vezes certezas, medos, dúvidas, alegrias e todos os sentimentos que compõem a existência humana. E aqui são tão bem retratados!
Pelo tom variado que imprimes. Ora é um livro, ora algo que se passa no teu trabalho, ora locais que visitaste, ora a politica. E um tema que me agrada sobremaneira: o “nosso” Glorioso!
:-)

São apenas duas dentre muitas outras razões que te fazem merecer este abraço. Que recebas muitos a muitos mais na tua vida!

Na parte que me toca, só posso dizer muito obrigado. Não encontrei palavras à altura para dizer, com justiça, o que significa um prémio vindo de ti, alguém que me parece não fazer as coisas por apenas “ficar bem”. Parece-me que fazes algo quando o sentes realmente. Sinto-me muito honrado e feliz, acredita!

Como sabes, ando um pouco ocupado de momento, o que vai fazer com que demore um pouco a preparar um post que faça referencia a este “abraço” que me dás. Mas, não podia passar sem escrever aqui umas letrinhas (que eufemismo desavergonhado da minha parte…)

Mais, uma vez, o meu sentido obrigado!
Um abraço grande, grande