quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A primeira vez que entendi



"A primeira vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na infância
cortei o rabo de uma lagartixa
e ele continuou mexendo.

De lá para cá
fui percebendo que as coisas permanecem
vivas e tortas
que o amor não acaba assim
que é difícil extirpar o mal pela raiz.

A segunda vez que entendi do mundo
alguma coisa
foi quando na adolescência me arrancaram
do lado esquerdo três certezas
e eu tive que seguir em frente.

De lá pra cá
aprendi a achar no escuro o rumo
e sou capaz de decifrar mensagens
seja nas nuvens
ou no grafite de qualquer muro."

(Affonso Romano de Sant'Anna)


Meus queridos e fofinhos leitores:

Também eu, no escuro, encontro o meu rumo.
Não se preocupem.
Estas coisas vão e vêm mas que cá vou continuando!


Até já...

3 comentários:

Socrates daSilva disse...

Este poema é L-I-N-D-O!

(Boa recuperação!)

Tiago R Cardoso disse...

e fazer muito bem, por cá continuar que eu também cá estarei para ler.

A primeira vez que entendi o mundo foi no meu acidente.

sonhos/pesadelos disse...

eu ainda não o consegui entender, mas tb não vou desistir. e no escuro a luz brilha, basta abrir uma janela ficticia e sentir o seu raiar...
bjs endiabrados