segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Porco Trágico

"conheço um poeta
que diz que não sabe se a fome dos outros
é fome de comer
ou se é só fome de sobremesa alheia.

a mim o que me espanta
não é a sua ignorância:
pois estou habituado a que os poetas saibam muito
de si
e pouco ou nada dos outros.

o que me espanta
é a distinção que ele faz:
como se a fome da sobremesa alheia
não fosse
fome de comer
também."

(Alberto Pimenta)

4 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

a fome da sobremesa alheia é um mal da nossa sociedade, infelizmente tem muitos que nem comem a olhar para o vizinho.

Muito bem.

Joaninha disse...

muito, mas muito bonito, não conhecia, adorei.

beijos

Blondewithaphd disse...

Fomes de sobremesa alheia dão sempre grandes apetites, não é?

(Porque uma visita merece outra, obrigada ter tocado à campainha!)

Anónimo disse...

Claramente os comentadores não perceberam pêvas do poema.