domingo, 21 de setembro de 2008

Quando eu nasci

"Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,
Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais…
Somente,esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém…

P’ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe…"

Sebastião da Gama ou José Régio?

5 comentários:

antonio - o implume disse...

Não sei, mas seguramente um rasgo de boa poesia, embora demasiado escuro.

Obrigado pela visita e pelo apreço.

Ferreira-Pinto disse...

Nada aconteceu quando nasceu, não; nasceu alguém e desde que esse alguém faça da sua vida algo que deixe uma leve marca na areia do tempo valeu a pena.

Grato pela visita e pelo comentário.
Com a devida autorização, irá ser indicado nas nossas boas referências de leitura.
NOTAS SOlTAS; IDEIAS TONTAS

Carol disse...

José Régio.

Tiago R Cardoso disse...

para mim apenas poesia...

André Couto disse...

Muito obrigado a todos pela visita.
Por favor voltem sempre e não deixem de manifestar a vossa opinião.

Caro Ferreira Pinto, autorização dada. Terei muito gosto. Obrigado.

Cumprimentos a todos.